Notícias

Hospital Pilar esclarece algumas dúvidas sobre o COVID-19

22/06/2020 14:42:28

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Brasil e no mundo vem crescendo rapidamente, de acordo com dados divulgados pelo Ministério de Saúde. Diante disso, torna-se ainda mais importante manter uma rotina de cuidados, com a adoção de medidas preventivas. Sobre a doença, seguem algumas dúvidas que ainda surgem entre a população sobre o assunto: 

Quais são os principais sintomas do COVID-19?

Os sintomas são principalmente respiratórios, confundindo-se às vezes com uma gripe ou um resfriado. Porém, a doença pode causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias, o que torna o contágio ainda mais perigoso para os idosos ou portadores de condições pré-existentes, como problemas respiratórios ou diabéticos. Entre os principais sinais da doença estão a febre, a tosse persistente e a dificuldade para respirar. 

Como posso me proteger?

Para a proteção é importante adotar medidas como lavar sempre as mãos com água e sabão, passar álcool em gel e também evitar aglomerações. Vírus respiratórios espalham pelo contato, portanto, é essencial também desinfetar objetos e superfícies que tocamos com frequência, como maçanetas, mesas, celulares e brinquedos. O Ministério da Saúde recomenda ainda isolamento social para reduzir a incidência de episódios graves e, ao tossir ou espirrar, usar o antebraço. Máscaras de proteção, mesmo as caseiras, ajudam também a evitar o contágio e devem ser utilizadas por todos, inclusive crianças. 

Como diferenciar o coronavírus de gripes e resfriados?

Apenas o diagnóstico médico pode identificar a causa dos sintomas, porém, existem sinais mais comuns em cada enfermidade:

Como é feito o atendimento de casos suspeitos no Hospital Pilar?

O Hospital Pilar adotou medidas de prevenção contra o COVID-19 para evitar novos casos e trazer segurança aos pacientes, corpo clínico e demais colaboradores da Instituição. Uma das ações foi disponibilizar estruturas distintas para atendimento aos que possuem suspeita da doença ou queixas respiratórias e para os que não apresentam essas características.

Os que possuem suspeita da doença são atendidos na Unidade de Atendimento 24 Horas e os que chegam com outras queixas são encaminhados a uma unidade distinta, com o objetivo de garantir a maior segurança durante a assistência na Instituição. Além disso, todo atendimento intra-hospitalar e nas unidades de internação seguem os fluxos de maior segurança com o objetivo de garantir a qualidade assistencial e o menor risco de transmissão dentro do Hospital.

 

voltar