Notícias

Novo microscópio disponível no Hospital Pilar, em parceria com a AXIS, traz avanços para a neurocirurgia

25/09/2019 16:59:45


Considerado referência internacional em microscopia e tecnologias para a indústria médica, já está em pleno funcionamento no Hospital Pilar o Sistema de Visualização Robótica KINEVO 900, da ZEISS, disponível na Axis – Centro de Neurologia e Neurocirurgia, serviço inaugurado recentemente na Instituição. O Hospital Pilar é o único do Paraná que possui este equipamento e do Brasil que traz os recursos (softwares e filtros) desta nova tecnologia. Com esta aquisição tem sido possível realizar de forma ainda mais precisa cirurgias cranianas e de coluna, na área de neurocirurgia.

O serviço é coordenado pelos neurocirurgiões Luiz Roberto Aguiar (CMR-PR 8414 / RQE 5574), Leo Ditzel Filho (CRM-PR 21151 / RQE 16238) e José Luis Maida Junior (CRM-PR 8840 / RQE 2509). Segundo Aguiar, o principal diferencial do microscópio é o sistema de robótica. O microscópio possui micromotores em todas as suas articulações, permitindo movimentos precisos e controlados à distância. Recursos de neuronavegação são acoplados ao microscópio o que torna possível realizar procedimentos com mínima invasividade e máxima segurança.

“Ao ser posicionado em frente ao campo operatório, o microscópio emite um laser, mede a distância focal e ajusta o foco automaticamente, sem que haja necessidade de intervenção humana neste processo”, explica Aguiar. “Com isso existe um aumento na precisão de posicionamento e o cirurgião realiza menos esforço, o que permite uma significativa redução no tempo de cirurgia, trazendo ainda mais segurança ao paciente”, afirma o especialista.

De acordo com Aguiar, outro ponto importante é a integração com a neuronavegação, que mapeia tridimensionalmente as imagens captadas nos exames de imagem (ressonância e tomografias) e as processa em tempo real, permitindo ao cirurgião uma perfeita localização espacial mesmo em se tratando de estruturas cerebrais profundas. Projetando as imagens tridimensionais na retina do cirurgião, em um processo denominado realidade aumentada, permite ao cirurgião saber onde uma lesão cerebral se encontra mesmo antes de abrir o crânio, explica.

Para Ditzel Filho, em termos de cirurgia cerebrovascular, um dos destaques é a possibilidade de realizar angiografia intraoperatória, técnica que consiste na injeção de um contraste fluorescente na veia do paciente, permitindo a identificação de artérias e veias que se relacionam com a lesão. “Se o médico está operando um aneurisma, por exemplo, ou um tumor, fazemos uma angiografia, que nos fornece informações valiosas sobre a vascularização da lesão e do cérebro adjacente. Além disso, mediante um sistema de Doppler a velocidade e o fluxo das artérias podem ser determinados em tempo real, permitindo avaliar o quão efetivo o procedimento está sendo. Dessa forma, o profissional pode tomar decisões mais rápidas e com exatidão”, destaca.

O KINEVO 900 possui sistema de óptica e iluminação avançados. A imagem captada pelo microscópio fica disponível a todos que estiverem na sala de cirurgia, projetada em um monitor 55’’ 3D/4K ou seja, com alta definição. Estas imagens podem ser inclusive gravadas. Por não precisar manipular o microscópio manualmente, o cirurgião ganha liberdade de ação e economia de movimentos, o que torna as cirurgias mais ergonômicas e seguras.

Para o tratamento de tumores cerebrais, foi dado também um passo à frente com a técnica chamada 5-ALA. Trata-se de uma substância que é ingerida pelo paciente no inicio da cirurgia e que durante o procedimento faz com que o tumor ganhe um sinal fluorescente ao entrar em contato com uma luz projetada por um filtro ultravioleta do microscópio. “Com essa tecnologia conseguimos mapear as células malignas, diferenciando o que é tumor do cérebro normal, visualizando os seus limites com clareza, possibilitando a sua remoção total com máxima preservação do tecido saudável”, completa Ditzel Filho.


 

voltar